Liderança
 
 
 
   
 
Comissões
 
 
 
 
Bancada da Maioria
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Legislativo
 
 
 
 
Multimídia
 
 

Notícias
Publicada em 21 de Setembro de 2017 ás 15:53:15
Share

Audiência Pública discute Projeto de Desenvolvimento Integrado da Ferrovia Oeste-Leste e do Porto Sul

O secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, foi o convidado da Comissão da Ferrovia Engenheiro Vasco Azevedo Neto – antiga Fiol – e Porto Sul, da Assembleia Legislativa da Bahia, na audiência pública realizada ontem com o tema “Novo projeto de desenvolvimento integrado da Fiol e Porto Sul: memorando 2017 com a China”. O secretário veio à Casa falar sobre o andamento da obra e explicar o teor do documento assinado recentemente pelo Estado, empresas chinesas e a Bahia Mineração (Bamin) para financiamento dos projetos. “Tivemos uma reunião muito proveitosa com o secretário que informou de forma didática o posicionamento do governo e das empresas chinesas para a execução das obras”, afirmou a presidente do colegiado, Ivana Bastos. A sessão, bastante concorrida, contou com a presença do presidente da ALBA, deputado Angelo Coronel (PSD), e de mais de uma dezena de parlamentares, além de representantes da Bamin e dos trabalhadores.

O documento assinado pelo governador Rui Costa em sua viagem à China estabelece que o Poder Executivo, as empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, cooperarão para que os projetos (a mina para extração de minério de ferro, a ferrovia e o porto) sejam desenvolvidos de forma concomitante e integrada. O documento também indica a participação de um grupo de investimento para financiar o desenvolvimento dos projetos liderado pelo consórcio chinês China Railway Group Limited; China Communications Construction Company Ltd; Minmetals Development Co. Ltd; Shougang Fushan Resources Group Limited; e Dalian Huarui Heavy Industry Group Co. Ltd.
 
O presidente Angelo Coronel, que participou da abertura do evento mas precisou se ausentar por compromisso assumido previamente, afirmou que a ferrovia e o porto são as obras mais importantes em andamento na Bahia e que quando estiverem em pleno funcionamento vão acelerar o crescimento econômico do Estado. “É uma obra de grande impacto econômico e social na Bahia e também fora dela. Parabenizo a comissão pela pressão exercida sobre os responsáveis pela obra e convido os outros parlamentares a encamparem essa luta. Isso é a ALBA, o que é bom para a Bahia sempre terá o nosso apoio”, ressaltou o presidente do Legislativo.
 
O secretário Bruno Dauster contou que não é a primeira vez que comparece  para tratar do assunto ferrovia/Porto Sul. Ele disse que no começo havia grande dúvida sobre a capacidade do Estado de bancar uma obra de cunho nacional que custa vários bilhões de dólares. “Diziam que era tudo conversa fiada”, afirmou o secretário. 
Dauster afirmou que desde a primeira viagem à China foram realizados diversos contatos com as empresas daquele país mostrando a importância da ferrovia. “Lá ficamos sabendo que a obra é vista pelos chineses como um primeiro passo para a construção de um projeto estratégico da China que é a ligação entre os oceanos pacífico e atlântico via estrada de ferro”, informou o secretário. 
 
Bruno Dauster contou ainda que o novo documento foi assinado com a presença do presidente da China como testemunha caracterizando o projeto como uma ação de Estado - e não empresarial. Ele disse que o novo memorando tem mais qualidade, com as metas assumidas entre as partes estabelecidas de forma concreta. “Até o último trimestre de 2017 será assinada a carta de intenção com o cronograma do projeto por parte do consórcio. E o compromisso que temos do Governo Federal é de que a licitação da obra será até o segundo semestre de 2018.      
 
O secretário disse que após as assinaturas existirão as condições financeiras, técnicas e políticas e a ferrovia se tornará uma realidade. “Ela vai mudar toda a geografia e economia da Bahia. Este é o nosso compromisso e vamos cumprir”.
 
 O presidente da Bamin, Claudio Menezes, contou que as vantagens da integração entre mina, porto e ferrovia ficaram muito evidentes a ponto de não ser mais possível analisar os projetos individualmente. “Temos uma reserva de 540 milhões de toneladas de minério de alta qualidade e o mínimo de impureza. Quando implantado, o projeto colocará a Bahia no cenário da mineração do país”, afirmou o presidente da Bamin.
 
Já o deputado Luciano Ribeiro questionou a falta de planejamento das obras no país e criticou com veemência o atraso nas obras da ferrovia. “Como se começa uma obra sem previsão de término? Quando o PT tinha o Governo Federal e o estadual ao mesmo tempo eles não conseguiram chegar a um consenso sobre a obra como agora vão conseguir? O secretário vem a ALBA para para não responder e mudar de assunto, como sempre. Chega a ser desrespeitoso”, protestou o parlamentar democrata.
 
]Por sua vez, a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB) elogiou o colegiado  pela luta incessante para a construção das obras ressaltando que a pressão nesses momentos é importantíssima. “A maior empresa de laticínios do mundo resolveu se instalar na Bahia e está esperando a concretização da ferrovia. Temos que seguir fazendo pressão em prol deste que é o maior investimento desenvolvimentista do nosso Estado”, completou a deputada.


ASCOM

Leia Também
 
Assembleia Legislativa da Bahia
1a Avenida, 130, CEP: 41.745-001, CAB, Edifício Jutahy Magalhães, 3 andar - Salvador-Bahia.
Tels.: (71) 3115-7270
  Via X Internet